Geografia do Brasil

Concentração e Desconcentração Industrial no Brasil

O espaço geográfico está em constantes transformações e no decorrer dos anos, as características da industrialização brasileira foram transformadas. Dentre os fatores passíveis de transformação no contexto da industrialização brasileira, destaca-se o processo de concentração industrial, ou seja, a ocorrência de indústrias concentradas em uma única região do território nacional.

Ao processo oposto à concentração industrial dá-se o nome de processo de desconcentração, no qual, em virtude de uma série de fatores locacionais, as indústrias se dispersam entre diferentes pontos do país.

Fatores de concentração industrial

O processo de concentração industrial no Brasil tem base nas origens do capital inicial para desenvolvimento desse setor, e foi fortalecido na Era Vargas com a política de substituição das importações.

Historicamente, a concentração regional intensificou-se ainda mais com a entrada de indústrias estrangeiras no Brasil, dado que essas empresas alocavam seus circuitos produtivos nos locais em que a infraestrutura necessária já havia sido implementada, ou seja, especialmente na região Sudeste, onde a indústria nacional havia se iniciado.

As infraestruturas de transportes, como as redes de rodovias, portos e aeroportos, são um importante fator de concentração industrial, uma vez que a construção e a manutenção dessas infraestruturas são responsabilidade do poder público, ou seja, não resulta em despesas para a indústria. Elas podem, ainda, ser utilizadas para o escoamento de produtos diversos.

Foto aérea de várias rodovias.
Rede de rodovias, um dos fatores de concentração industrial.

Seguindo a mesma lógica, a existência de universidades e centros de pesquisa também é um fator locacional que impulsiona a concentração industrial, uma vez que, com base na existência dessas infraestruturas, é possível direcionar a instalação das indústrias para locais com mão de obra qualificada para o desenvolvimento de atividades específicas.

A concentração industrial ocasiona alguns problemas, como a grande especulação imobiliária e a consequente alta nos preços dos imóveis. Em função disso, regiões concentradas tendem a apresentar maior custo de vida e maior necessidade de planejamento e gestão das estruturas de transporte, saneamento, saúde e educação. O elevado custo de manutenção das atividades nas regiões excessivamente concentradas é um dos fatores que motiva a desconcentração industrial.

Fatores de desconcentração industrial

Em contraposição ao processo de concentração industrial, observou-se, após a segunda metade do século XX, o processo de desconcentração industrial no contexto brasileiro.

Nesse fenômeno, o número de indústrias nos grandes centros fica estagnado, ou tende a se reduzir, pois, em razão de diferentes fatores, entre eles os locacionais: as indústrias optam por se instalarem nas regiões tradicionalmente menos industrializadas, ocasionando uma reorganização espacial das indústrias.

O processo de desconcentração industrial no Brasil teve início com o projeto de interiorização da ocupação urbana e atingiu seu auge nos anos 1990, com o crescimento da instalação de indústrias nas cidades médias.

Entre os fatores que motivam a desconcentração industrial destacam-se:

  • a renovação de estruturas de transporte em alta velocidade;
  • a guerra fiscal entre diferentes localidades que oferecem alteração nas vantagens competitivas;
  • a saturação do mercado de trabalho nas regiões metropolitanas;
  • o aumento do custo de instalação das indústrias nas áreas de industrialização mais antiga.

Guerra fiscal

A guerra fiscal ocorre quando diferentes unidades da federação, principalmente nas esferas estaduais e municipais, buscando promover crescimento econômico a partir da dinamização oferecem uma série de benefícios para a instalação de empresas.

Entre as principais práticas da guerra fiscal, destacam-se a isenção de impostos por determinados períodos de tempo e a doação de terrenos para a formação de parques industriais.

Tais práticas se justificam, pois o retorno financeiro da instalação de indústrias ocorre com a geração de empregos, que resultam em crescimento do poder de consumo de mercadorias e serviços por parte das populações locais.

Entretanto, a guerra fiscal também pode ampliar as desigualdades regionais e onerar o Estado com a redução da arrecadação de impostos, que deveriam ser revertidos em melhorias dos serviços ofertados à população.

A desconcentração da produção e a indústria globalizada

Compreendemos desconcentração industrial como o deslocamento da produção entre as diferentes cidades ou regiões de um país. Entretanto, outra forma de desconcentração da atividade industrial também é possível, a chamada desconcentração da produção.

Trata-se de um fenômeno que ocorre em escala global, quando uma empresa opta por dispersar suas redes produtivas entre diferentes áreas do mundo, visando à redução dos custos e à ampliação da competitividade para que o produto seja vendido em todos os continentes. Atualmente, a produção de itens de alta tecnologia, automóveis e aparelhos eletroeletrônicos ocorre em cadeia global.

Por: Wilson Teixeira Moutinho

Veja também: